Se gostaram do primeiro jogo (Middle Earth: Shadow of Mordor), certamente vão adorar este Shadow of War. É uma excelente sequela repleta de novidades e com especial relevo ao melhoramento do sistema Nemesis.

A sequela do tão aclamado jogo Middle-earth: Shadow of Mordor marca o regresso de Talion e Celebrimbor. Mais uma vez, e unindo as suas forças num só corpo, estes terão de tentar recrutar um exército em linhas inimigas e, no processo, abraçar a tarefa quase impossível de convencer toda a região de Mordor na Terra Média a lutar contra o domínio de Sauron.

A HISTÓRIA

A Monolith Productions, numa parceria com a Warner Bros traz-nos mais este original capítulo baseado no universo de Tolkien. Esta é uma nova e empolgante história, plena de detalhes, personagens cativantes e vilões novos e que se enquadra algures entre os eventos narrados no livro O Hobbit e a trilogia do Senhor dos Anéis.

Em Shadow of War, vemos que Shelob aprisionou Celebrimbor e exige a Talion que lhe ceda o seu novo Anel, livre do domínio de Sauron, em troca do Elfo. Talion aceita de forma relutante e ela acaba por usá-lo para ver o futuro. Shelob tenta então convencer Talion que ambos têm um inimigo em comum e que devem unir forças para o derrotar e orienta o nosso herói para a última fortaleza de Gondor em Mordor, as Minas Ithil, que se encontra a ser atacada pelas forças de Sauran , por esta possuir o artefato mágico Palantir. O Palantir permite a quem o possuir, ver qualquer coisa que deseje, tornando-se assim numa valiosa ferramenta para Celebrimbor e numa poderosa e perigosa arma se esta cair nas mãos de Sauron.

Os fãs mais acérrimos de Tolkien poderão aqui encontrar algum ponto de discórdia. Se há quem possa achar que estes jogos realmente contribuem para a expansão do universo de Tolkien, outros haverá que acreditam que o autor estará provavelmente a dar voltas no seu caixão, tal é a liberdade criativa que vemos em alguns aspectos da história focada nestes dois jogos. Mas, divergências, à parte, o facto é que em Shadow of War, encontramos diversas referências à obra original, o que a meu ver só engrandecem o jogo e são na verdade um verdadeiro e honesto tributo ao autor.

Através dos olhos de Talion podemos usufruir de uma experiência bastante rica num mundo extremamente vasto e assistimos a alguns eventos que nos remetem a memórias que temos dos livros e dos filmes, tais como o confronto épico com um Barlog (a besta que no primeiro filme do Senhor dos Anéis puxa Gandalf para o abismo) ou a história de como o Rei bruxo de Angmar conquista as Minas Morgul, sem falar do confronto com Sauron e os seus Nazgûl. Estas referências e ligações à obra original de Tolkien ajudam a criar uma ligação mais profunda com o jogador, que acaba por disfrutar de uma experiência verdadeiramente única, em grande parte enriquecida pela pérola que é o sistema Nemesis, a mecânica do jogo de que falaremos já a seguir…

A JOGABILIDADE

Middle-earth: Shadow of War assenta sobre o aclamado e premiado sistema Nemesis. Este inovador sistema foi agora expandido e aplica-se a todo o universo do jogo. Em Shadow of War, além dos capitães e dos seus lacaios, agora também podemos controlar os Ogres que Talion controla. E todas as ações e decisões do jogador têm efeito direto nos personagens e nos ambientes envolventes. Isto ajuda a criar uma experiência de jogabilidade verdadeiramente única.

Talvez a melhor forma de explicar este sistema será dando um exemplo: para causarmos verdadeiramente danos a um exército temos de matar os capitães e os líderes um por um. O interessante neste sistema é que este universo reage a qualquer encontro que tenhamos. Significa isto que se um capitão nos matar, ele poderá subir até ao topo, se um dos vilões lacaios te matar, por exemplo, ele poderá ser promovido a capitão e até poderá ser considerado por muitos como uma lenda. E com algum ganho de experiência ele poderá subir de nível. E ele lembrar-se-á sempre de ti.

Com isto, Shadow of War torna todos os conflitos verdadeiramente pessoais. E torna-se extremamente fácil (e até certo ponto tentador) abandonarmos a campanha principal para irmos atrás de uma simples vingança.

O maior defeito de jogos de mundo aberto sempre foi a temida repetição de personagens, de conversas ou até de missões, mas este sistema nemesis ajuda a assegurar que haverá sempre algo novo “ao virar da esquina” e que tudo pode acontecer. E o que resulta para derrotar um orc, por exemplo, não é necessariamente o mesmo que é necessário para derrotar o seguinte…Esta imprevisibilidade torna-o num jogo verdadeiramente especial e numa agradável experiência.

A própria jogabilidade vai evoluindo à medida que o jogo avança. No início pouco mais fazemos que pressionar o botão quadrado. Porém, à medida que o jogo avança e o nosso personagem evolui, vamos ganhando mais habilidades que revolucionam por completo o nosso sistema de combate. Podemos por exemplo invocar os Cargo, os Graug ou até mesmo dragões.

Shadow of War, para além de conter um sistema de upgrade de habilidades, traz ainda um sistema de tesouros (loot) e as chamadas loot boxes, que contém itens com os quais podemos equipar Talion (peças de armadura, armas). Estes itens são ganhos ao eliminarmos inimigos e existem quatro tipo de loots: normal, rara, épica e lendária. Não pensem que é tarefa fácil porque serão necessárias muitas horas de jogo para se conseguir desbloquear estas funcionalidades extra, a menos é claro que se pague para desbloquear conteúdos.

Talvez a única opção que tenha gerado alguma controvérsia inicialmente em Shadow of War foi a decisão de incluir microtransações neste jogo. Para quem não sabe, microtransações (neste caso específico) é a disponibilização de funções ou de itens extra que também podem ser conseguidos com horas de jogo, mas que se encontram disponíveis imediatamente através de um certo custo. Mas os fãs podem ficar descansados. Apesar de haver a possibilidade de gastarem dinheiro no jogo e assim evoluírem mais rapidamente tal não é verdadeiramente necessário, até porque têm desafios diários que vos permitem adquirir as mesmas moedas que poderiam comprar com dinheiro real.

O site Kotaku criou um vídeo de jogabilidade que exemplifica um pouco do que é este sistema Némesis. Vale a pena vê-lo:

OS GRÁFICOS

Este jogo foi testado numa PS4 Slim e ficamos muito impressionados com o seu desempenho gráfico.
Visualmente falando, este é um jogo bastante apelativo e bonito. Mesmo sendo mundo aberto bastante grande ele não perde na sua beleza. Cada área difere visualmente umas das outras, tornando-o numa experiência verdadeiramente única.

Caso sintam curiosidade em ver as diferenças entre versões disponibilizadas, recomendamos a visualização dos seguintes vídeos:

O SOM

Neste departamento, a Monolith Productions também não desiludiu. A banda sonora deste jogo é muito boa e contribui significativamente para uma maior envolvência no jogo.

Caso sintam curiosidade em descobrir um pouco mais da música incluída neste jogo, ouçam a banda sonora disponível de seguida:

POSITIVO

  • Um grande mundo aberto para explorar
  • História agradável para jogar e desbloquear funcionalidades.
  • Sistema Nemesis continua a surpreender

NEGATIVO

  • Um jogo imenso, com muito para fazer!

UPDATE: 06/12/2017

Shadow of War Online Fight Pits – Disponível gratuitamente a partir de hoje!
Middle-earth™: Shadow of War™ – Online Fight Pits permite aos jogadores treinarem os seus Orcs e colocá-los em combates contra outros jogadores de todo o mundo! Os grandes vencedores destes combates até à morte na arena recebem recompensas e upgrades para serem utilizados com vista ao melhoramento dos seus exércitos no jogo. Vejam o vídeo promocional já de seguida:

Em suma, se gostaram do primeiro jogo (Middle Earth: Shadow of Mordor), certamente vão adorar este Shadow of War. É uma excelente sequela repleta de novidades e com especial relevo ao melhoramento do sistema Nemesis. Certamente um jogo a não perder e uma excelente adição à vossa coleção!

Para mais informações sobre este jogo, consultem a sua página oficial.
A versão que testamos para realizar esta nossa análise foi a PS4, mas este jogo encontra-se disponível também para Xbox One, Android, Microsoft Windows e iOS.